terça-feira, novembro 29, 2005

Visão terceiro mundista, demagogia ou incomptência, escolha...

A secretária de estado da saúde disse isto ao DN:
"A secretária de Estado afirma que "muitas das carências de profissionais de saúde no País resultam de uma má distribuição". E por isso o ministério prepara-se para "agilizar" a lei, que, "em vez de facilitar a gestão dos recursos, a dificulta". E dá o exemplo "Um centro de saúde num bairro de Lisboa habitado maioritariamente por população idosa tem dois ou três enfermeiros para fazer vacinação. Quantas vacinas são dadas por ano naquele centro? Muito poucas. Mas noutro centro de saúde ao lado pode haver enfermeiros a menos para essa tarefa".

Primeiro ponto - Os enfermeiros nos centros de saúde não dão só vacinas, tb fazem curativos e administram medicação que só pode ser dada por via injectável. Ora uma zona habitada por idosos é uma zona que necessita de mais profissionais de saúde do que um habitada por jovens. São os idosos que se ferem mais, em quedas e pequenos acidentes, e cujas feridas levam mais tempo a curar, daí que precisem de utilizar os serviço dos enfereiros com mais assiduidade do que outros escalões etários, nomeadamnete para realizar curativos. Além disso muitos deles ficam acamados, é necessário a deslocação do enfermeiro a casa destes quer para fazer os curativos quer para administrar a medicação dada por via injectável, isso raramente acontece em estractos da população mais jovens. além disso idosos acamados ferem-se facilmente, a sua pele é mais "fina" e longos tempos de cama levem ao surgir de ferimentos: enfereiros que se desloquem a casa para evitar estas complicações e curá-las são necessários.

Ponto 2 - As vacinas não são dadas só a jovens, a vacina contra o tétano tem de ser periodicamente reforçada, contra a tubercolose tem de ser testado o anti-corpo e reforçada, as da hepatite tb, e depois os grupos de risco devem tomar a vacina da gripe (e TODOS os idosos fazem parte dos grupos de risco).

Podem existir muito mais pontos de contestação a esta afirmação da secretária de estado, mas das três uma:

- ou a visão ainda é terceiro mundista: temos de vacinar as crianças , e os idosos não tÊm cuidados de saúde;

- ou é demagógica porque não é verdade e sabe-o, mas quer apenas agitar a população contra essa classe de "privilegiados" (médicos e enfermeiros) e lança estas farpas - mais uma parte da classe média a ser atacada.

- ou incompetente pq não sabe do que fala;

em qq dos casos a DEMISSÃO seria a consequência num país do primeiro mundo, em Portugal esta afirmação ainda lhe dará uma promoção.

1 comentário:

JAC disse...

Saúde… aqui está um tema complexo.

Na minha opinião, a solução do problema saúde passa pela aplicação de uma gestão objectiva, ou seja, quando os gestores implementarem processos em que o doente o fundamento deste sistema seremos bem tratados e remanescerão milhões de euros.

Actualmente, o objecto da saúde é:

- o médico;
- o enfermeiro;
- o político;
- a farmacêutica;
- etc.

Sal de Portugal
(Diário do adeus aos Cigarros)

http://www.sal-portugal.blogspot.com/

http://sal-portugal.blogspot.com/2005/11/portugal-tem-o-direito-de-saber.html