quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Sobre o meu comentário no lado no cais...

... onde pergunto que provas dadas é que os jovenzinhos recém-licenciados têm para serem presidentes de Institutos.

CV de Nuno Freitas aqui (saliente-se que o tem on-line, uma raridade política)

Veja-se esta parte:
HABILITAÇÕES LITERÁRIAS
§ Licenciatura em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra com a nota final de Bom (15 valores);
§ Pós-Graduação em Direito da Medicina pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra;
§ Frequência do Mestrado em Bioética da Universidade Católica Portuguesa; (isto aqui é para quê? Ou diz que está a frequentar ou omite, porque se frequenou e desitiu não é uma habilitação,é uma desistência)...

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

§ Médico do Internato de Especialidade de Patologia Clínica dos Hospitais da Universidade de Coimbra (n.º mec. 6440);
§ Médico eventual do Hospital Distrital de Leiria;
§ Curso Avançado do INEM para VMER; (Isto é uma habilitação ganha com prática mas não é uma experiència profissional)

O resto são cargos políticos e então que EXPERIÊNCIA DE FACTO TINHA PARA SER NOMEADO PRESIDENTE DO IDT.
Alguém disso que é muito válido intelctualmenete (não tenho dúvidas), mas isso é o bom de 'boca' não de 'facto'.

Não quer dizer que não tenha sido uma aposta ganha, mas com os bens públicos não se deve andar a meter moedas na roleta, ora sai, ora não.

Ricardo Castanheira - CV não disponível mas percurso aqui, em voz própria
Mais uma vez um percurso político e com coisas MUITO ESTRANHAS, por exemplo ESTA:
'Sou também Professor Auxiliar Convidado da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Lisboa, na Licenciatura de Ciência Política '
Quer dizer, alguns para fazer a carreira académica tÊm de se matar a fazer o doutoramento (veja-se este aqui) e outros, porque deputados dão aulas em Universidades privadas?
Mais uma vez, não ponho em causa a sua capacidade, mas os cargos são todos pq bom de 'boca', não provou antes que tb era de facto.

É isto que eu digo, estes dois rapazes de facto até são válidos (não sei se tão bons como se diz mas...), chegariam longe mesmo num tradicional sistema de mérito (por isso não me custa nada usá-los como exemplos), mas quantos não o sendo ocupam cargos para os quais a sua competência , não é zero, é negativa?????

PS: Há mais jovenzinhos em cargos de destaque, mas mutios não sei se chegariam longe num sistema de mérito, abstraio-me de usá-los como exemplos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Foi depositado um comentário, na secção: Visão eurocêntrica.

Se tivesse a bondade de responder. ;-)

Embaixador do Irão

el__sniper disse...

Respostas na visao eurocentrica.