sexta-feira, outubro 28, 2005

Cópia do comentário ao post de JPC no blog Mário Super

Esta é uma cópia do comentári enviado sobre post de JPC: O presidente de todos os economistas
JPC como não se pode comentar o que escreve no blog optei escrever-lhe directamente. Em primeiro lugar tem que entender o que é a ciência económica. Esta tem como objectivo "Satisfazer o máximo número de necessidades com recursos escassos".
Nesta definição cabe tudo, mas afinal no fim a economia sabe que os recursos à disposição da humanidade são escassos e o seu objectivo é máximizar a sua utilização por forma a satizfazer o máximo número de necessidades do Homem, ou seja dito em economiquês maximizar a sua utilidade, ou dito em Português maximizar a felicidade.
A partir daqui toda a actividade do homem pode ser classificada em termos de maximização da felicidade colectiva.
Assim o ensino justifica-se porque permite formar mão-de-obra qualificada, permitindo que cada um se especialize num campo maximizando a sua produtividade. Isto é, permite que se trabalhe menos para atingir os mesmos rendimentos, permite tb que se tire maior usufruto da vida ao compreender os factos que nos rodeiam, permite ser mais feliz.
A ciência, porque estimula a produtividade, permite tb que se possa realizar mais com os mesmo recursos, logo menos esforços de todos na produção de bens, mais tempo livre e mais tempo para se dedicar à felicidade, seja ela a criação do belo, seja ela dormir.
A saúde, porque mantém os trabalhadores e os outros de boa saúde. A doença que eu saiba não trás felicidade.
etc. etc etc.

A sua visão da economia é $$$$$, mas se por acaso desfolhar uma revista científica de economia verá que na maior parte dos artigos não há $$$$$, apenas o desejo de maximizar a utilidade (felicidade) dos agentes económicos.

1 comentário:

Spin Doc disse...

tá cool!
os blogs amigos jamais serão vencidos!
faça como nós,venha fazer parte da luta, ou adopte... o blog dos sem blog:

jornaleirosdecoimbra.blogspot.com

tudo sobre tudo!
sobretudo no inverno apanham-se laranjas, rosas e milagres de orangecoimbra